Google+ Badge

L70 Dual, mais uma opção da LG para quem busca um smartphone acessível (mais 7 notícias)

L70 Dual, mais uma opção da LG para quem busca um smartphone acessível (mais 7 notícias)

Link to Tecnoblog

L70 Dual, mais uma opção da LG para quem busca um smartphone acessível

Posted: 30 Jul 2014 01:42 PM PDT

LG L70 Dual

Lançado no último mês de junho no Brasil, o LG L70 Dual é um smartphone com suporte a dois chips que se posiciona entre as categorias de baixo e médio custo. Trata-se, por conseguinte, de mais uma opção para quem está saindo de celulares mais simples ou quer trocar seu smartphone atual, mas sem gastar muito.

Naturalmente, aparelhos deste tipo apresentam altos e baixos. No caso do LG L70 Dual, a tela tem 4,5 polegadas, mas resolução de apenas 800×480 pixels, enquanto que a memória RAM conta com 1 GB de capacidade, mas o armazenamento interno é de apenas 4 GB, com menos da metade disso livre para uso.

Diante destas circunstâncias, o que importa é saber se o conjunto da obra agrada. Será que o L70 Dual é uma boa alternativa a modelos como Moto E, Xperia E1, Lumia 630 ou, de repente, até mesmo o badalado Moto G? A câmera do aparelho é boa? A sua bateria aguenta um dia inteiro de uso? O desempenho convence? As respostas você confere neste review.

Design e pegada

Ao pegá-lo, você não estará enganado se tiver a impressão de que o LG L70 Dual é mais leve do que aparenta: apesar de não ser pequeno – suas dimensões são de 127,2 mm x 66,8 mm x 9,5 mm -, o modelo pesa apenas 126 gramas.

Esta característica se deve principalmente à construção do aparelho. Com exceção da tela, o corpo do LG L70 é quase todo feito de plástico, o mesmo valendo para a tampa traseira. Este aspecto pode transmitir uma sensação de fragilidade, mas logo o usuário a substitui pelo fator conveniência: a leveza, combinada com a textura saliente e fosca da tampa, tornam o dispositivo agradável de se segurar.

A traseira do L70 Dual tem textura saliente, o que evita marcas de dedos, mas facilita o acúmulo de sujeira

A traseira do L70 Dual tem textura saliente, o que evita marcas de dedos, mas facilita o acúmulo de sujeira

A LG aproveitou todas as laterais do L70 Dual: a direita contém o botão de liga e desliga; a esquerda, o controle de volume; na parte superior estão a entrada P2 para fones de ouvido e o microfone externo; a porta USB fica na parte inferior, com a sua ranhura servindo também como apoio para a retirada da tampa traseira.

LG L70 Dual

Como este é um aparelho de baixo custo, não dá para esperar "luxos" como um botão para acesso imediato à câmera, mas assim como outros smartphones mais recentes da LG, ao menos o L70 Dual oferece um “atalho” logo abaixo da tela que permite ao usuário alternar rapidamente entre os cartões SIM instalados. Funciona tão bem que não seria nada ruim se outros fabricantes adotassem a ideia.

É uma pena que este e os botões que aparecem ao lado não tenham retroiluminação: se acostumar a esta condição não demora muito, mas é chato ficar procurando o botão desejado em ambientes escuros.

O botão mais à direita permite alternar rapidamente entre os chips

O botão mais à direita permite alternar rapidamente entre os chips

Também não há acesso aos slots pelas laterais. Você terá que remover a tampa traseira se quiser inserir um microSD; para colocar os chips SIM, além da tampa, é necessário tirar a bateria. Mas, como não estamos falando de tarefas a serem realizadas constantemente, estes “rituais” não chegam a ser um problema.

O slot para microSD fica na lateral, mesmo assim, é necessário retirar a tampa traseira

O slot para microSD fica na lateral, mesmo assim, é necessário retirar a tampa traseira

Tela

O L70 Dual tem tela composta por um painel IPS reforçado com a tecnologia Gorilla Glass 2. O seu tamanho de 4,5 polegadas agrada bastante a pessoas que não apreciam telas muito grandes, mas também não gostam de conteúdo exibido de maneira “espremida”.

LG L70 Dual

A fidelidade de cores é muito boa, a saturação convence inclusive nos tons de preto, é possível visualizar o conteúdo de maneira satisfatória a partir de ângulos variados ou em ambientes com forte incidência de luz solar e o tempo de resposta aos toques não decepciona.

O ponto fraco da tela fica mesmo por conta da resolução. A combinação de 800×480 pixels (densidade de 207 ppi) é suficiente para visualizar fotos, jogar e utilizar aplicativos diversos, mas não dá para negar que uma resolução de pelo menos 720p faria enorme diferença.

Não é difícil distinguir os pixels na tela do L70

Não é difícil distinguir os pixels na tela do L70 Dual

Como consequência, não é possível visualizar todos os detalhes de um vídeo em alta definição, assim como acaba não sendo difícil distinguir pixels na tela. É verdade que estamos falando de um aparelho de custo baixo para médio, mas mesmo nesta categoria, já não é querer demais uma resolução um pouco melhor.

Software e multimídia

A LG não cometeu o erro de colocar uma versão mais antiga do Android para compensar o baixo custo do dispositivo, já que o L70 Dual sai de fábrica com a versão 4.4.2 (KitKat) da plataforma. A empresa só não soube informar se haverá atualização para a versão 4.4.3 ou superior, mas sempre fica a expectativa, embora a LG não tenha uma fama muito boa em relação a updates.

A interface do L70 Dual e a execução do player de vídeo em miniatura

A interface do L70 Dual e a execução do player de vídeo em miniatura

Apesar de ter aderido de vez ao Android KitKat, a interface do LG L70 Dual difere pouco do padrão que a LG adotou em modelos anteriores. Ao menos esta customização é funcional: há alguns efeitos de transição, widgets e comandos por toques específicos desta interface, mas nada excêntrico o suficiente para atrapalhar a experiência de uso.

Na parte multimídia, o L70 provê o básico. O player de áudio, chamado apenas de “Música”, toca formatos como MP3, WAV e FLAC em uma interface simples, mas intuitiva. É possível organizar as faixas por artista, gênero e álbum ou mesmo por listas de reprodução personalizadas.

O app Música

O app Música

O player de vídeo, por sua vez, é um pouco mais incrementado. O programa roda formatos como AVI e MP4, permite ajustar rapidamente o áudio e o brilho com o vídeo em execução a partir de toques na tela e exibe legendas sem se estranhar com a acentuação. Pode-se ainda fazer o vídeo ser exibido em miniatura enquanto outro aplicativo está sendo executado em primeiro plano. Este recurso, vale dizer, também funciona com outros apps, como o discador e a calculadora.

O smartphone conta ainda com um aplicativo de rádio FM que permite gravar as transmissões. Em contrapartida, não há TV digital – este recurso está presente no modelo L80.

Uma funcionalidade que a LG destaca inclusive na embalagem do L70 Dual é o Knock Code, que está presente também em outros smartphones atuais da empresa, como o suntuoso G3. Trata-se de uma sequência de quatro toques determinada pelo usuário que serve para desbloquear o aparelho, mesmo se a tela estiver desligada.

A tela de bloqueio com Knock Code e o gerenciador dos chips SIM

A tela de bloqueio com espaço para o Knock Code (metade inferior) e o gerenciador dos chips SIM

Se o usuário fizer a sequência correta, o aparelho exibirá imediatamente a tela de início. O recurso funciona bem porque é necessário decorar apenas os mencionados quatro passos e não há pontos específicos na tela que deixem claro qual a sequência de toques. Caso o usuário esqueça a ordem determinada, poderá acessar o aparelho informando a sua senha.

Câmera

Com 8 megapixels, a câmera traseira do LG L70 Dual vendido no Brasil (em alguns países, a câmera do modelo tem 5 megapixels) não faz feio para a sua categoria, superando até mesmo o sensor da principal referência intermediária do mercado, o Moto G.

Em ambientes bem iluminados, o L70 Dual consegue registrar fotos com pouco ou nenhum ruído e boa intensidade de cores, além de não comprometer severamente os detalhes por não precisar fazer um pós-processamento muito intenso.

Foto tirada com o L70 Dual

Foto tirada com o LG L70 Dual

Por outro lado, basta faltar um pouquinho de luz para os ruídos se tornarem facilmente perceptíveis. Neste ponto, a iluminação do flash LED compensa, mas nem sempre é conveniente usá-la.

Foto tirada com LG L70 Dual

Foto tirada com o L70 Dual

Se com fotos a câmera L70 Dual dá para o gasto, com vídeos é melhor não criar expectativas: o componente só consegue filmar com resolução de até 800×480 pixels, não há recursos que ajudam a estabilizar a imagem e o microfone se mostrou mais sensível a ventos que o normal. Ao menos é possível gravar com a luz de flash ativada.

O app da câmera parece não ter se entendido muito bem com o hardware do L70 Dual, por vezes demorando preciosos segundos para deixar o componente pronto ou para exibir a imagem após o disparo. A compensação vem na facilidade de uso da ferramenta e na possibilidade de ajustar ISO, balanço de branco, efeitos de cor, entre outros parâmetros.

Convém frisar que o L70 Dual também vem com câmera frontal, mas como de hábito, com qualidade bastante inferior, permitindo fotos com resolução de apenas 640×480 pixels.

Hardware e desempenho

O LG L70 Dual é equipado com um chip Snapdragon 200 de 1,2 GHz dual-core (Cortex-A7), GPU Adreno 302 e 1 GB de RAM, uma configuração não mais que mediana, suficiente para dar conta das tarefas mais básicas. Alternar entre as telas principais, usar apps de redes sociais, acessar a web, ouvir música e visualizar fotos são exemplos de atividades que são executadas sem nenhum engasgo.

Aplicativos mais pesados também são bem tolerados pelo L70 Dual, mas nem sempre com a fluidez desejada: nos testes, o aparelho ficou “pensando” alguns segundos para abrir ou executar determinadas funções do Google Maps e do player de vídeo, por exemplo; o jogo Dead Trigger 2 rodou bem com configurações gráficas básicas, mas deu travadas nas definições mais avançadas.

Abaixo, um comparativo de desempenho do L70 Dual com outros modelos no Quadrant Standard e no AnTuTu. O Vellamo, outro programa que utilizamos para benchmark, foi descartado por ter mudado seus parâmetros e invalidar a comparação com testes anteriores.

O que incomoda mesmo no L70 Dual é o espaço interno para armazenamento de dados: somente 4 GB, sendo que aproximadamente 2,5 GB são ocupados pelo sistema e pelos aplicativos instalados de fábrica. É verdade que o smartphone é compatível com microSD de até 32 GB, mas como não é possível armazenar apps em cartões de memória (a não ser pelo uso de algum artificio), o usuário logo perceberá que não poderá instalar muita coisa no L70.

Em smartphones, mesmo nos modelos mais avançados, não dá para esperar grande performance da saída externa de áudio, mas neste aspecto o L70 Dual consegue ser pior que a média. Localizado na parte traseira, o alto-falante reproduz som de maneira abafada e, mesmo que o volume não esteja no nível máximo, não é difícil notar distorções. Fones de ouvido, definitivamente, são uma obrigação neste modelo.

Na conectividade, o L70 Dual não foge do trivial: Wi-Fi 802.11n, Bluetooth 4.0, GPS, porta micro-USB 2.0, 3G e o já mencionado rádio FM que, para captar sinal, exige o uso de fones.

Bateria

A LG equipou o L70 Dual com uma bateria removível de 2.040 mAh, capacidade que está dentro dos padrões básicos atuais. Até dá para utilizar o smartphone durante um dia inteiro mantendo-o longe da tomada, mas é seja necessário tomar cuidado para não acessar aplicativos exigentes por muito tempo.

No primeiro teste de bateria, o L70 Dual rodou um vídeo via Netflix de 42 minutos com Wi-Fi ativado e tela com brilho máximo. Ao final de seis execuções seguidas, a carga havia passado de 96% para 36%.

Tentando simular um dia normal de utilização, fiz o seguinte para o segundo teste: rodei um vídeo de 120 minutos da Netflix, executei o player de áudio por 50 minutos via alto-falante, rodei o jogo Dead Trigger 2 por meia hora, fiz uma ligação de 10 minutos e naveguei pela web e redes sociais por aproximadamente uma hora. Todas estas execuções consumiram 64% da carga da bateria.

O tempo de recarga é compatível com a média de outros smartphones: com o aparelho estando em modo avião, a bateria levou duas horas e 32 minutos para ir de 5% para 100% de carga.

Conclusão

De modo geral, o LG L70 Dual é um aparelho que consegue atender bem às necessidades de quem busca um smartphone dual-SIM que seja um pouco mais que um modelo de entrada: seu desempenho é aceitável, a câmera traseira faz fotos decentes, a autonomia da bateria está dentro da média e a interface, mesmo não sendo a mais atual da LG, flui bem e tem um bom conjunto de funcionalidades.

O “Calcanhar de Aquiles” do modelo é, inegavelmente, a sua capacidade de armazenamento de dados. Com 4 GB – sendo 2,5 GB já em uso –, até mesmo a execução de aplicativos pré-instalados pode ser afetada, uma vez que sobra pouco espaço para dados temporários.

LG L70 Dual

De qualquer forma, as especificações do L70 Dual posicionam o aparelho como um rival em potencial de modelos como Moto E e Lumia 630, ainda que não tenha TV digital. O seu preço sugerido de R$ 699, no entanto, o coloca no mesmo patamar do Moto G e, se levarmos em conta os recursos de ambos, este último leva grande vantagem, perdendo somente no aspecto da câmera, provavelmente.

Felizmente, já não é difícil encontrar varejistas oferecendo o L70 Dual a valores abaixo dos R$ 600, faixa de preço muito mais justa. Ainda assim, é recomendável analisar se não vale a pena gastar algumas dezenas de reais a mais para levar o Moto G, cuja versão dual-SIM já pode ser encontrada com preços entre R$ 600 e R$ 650.

Sim, é uma comparação repetitiva, mas inevitável até o modelo da Motorola deixar de oferecer a melhor relação custo-benefício do mercado.

Especificações técnicas

  • Bateria: 2.040 mAh;
  • Câmera: 8 megapixels (traseira) e VGA (frontal);
  • Conectividade: 3G, Wi-Fi 802.11n, GPS, Bluetooth 4.0 e USB 2.0;
  • Dimensões: 127,2 x 66,8 x 9,5 mm;
  • GPU: Adreno 302;
  • Memória externa: suporte a cartão microSD de até 32 GB;
  • Memória interna: 4 GB (1,5 GB disponível para o usuário);
  • Memória RAM: 1 GB;
  • Peso: 126 gramas;
  • Plataforma: Android 4.4.2 KitKat;
  • Processador: dual-core Snapdragon 200 de 1,2 GHz;
  • Sensores: acelerômetro, proximidade;
  • Tela: IPS LCD de 4,5 polegadas com resolução de 800×480 pixels (207 ppi).

L70 Dual, mais uma opção da LG para quem busca um smartphone acessível








Pop C3 e Pop C5 são os novos smartphones acessíveis da Alcatel

Posted: 30 Jul 2014 12:35 PM PDT

A Alcatel está lançando nesta quarta-feira (30) dois novos smartphones no Brasil para quem não quer gastar muito dinheiro. Pop C3 e Pop C5 são os aparelhos acessíveis que rodam Android e possuem características cada vez mais importantes para esse público: câmera para selfies e suporte a dois chips. O Pop C5 vem ainda com o recurso de TV digital.

Com preço sugerido de apenas 349 reais, o Pop C3 tem tela de 4 polegadas com resolução de 800×480 pixels, processador dual-core de 1,3 GHz, câmera de 5 megapixels, RAM de 512 MB e armazenamento interno de 4 GB, que pode ser expandido com um cartão de memória de até 32 GB. A Alcatel destaca a câmera frontal, boa para fazer selfies.

alcatel-pop

Um nível acima está o Pop C5, que custará 499 reais. Ele tem as mesmas características do Pop C3, mas você leva uma tela melhor e maior, de 4,5 polegadas, com resolução de 854×480 pixels. No modelo vendido no Brasil, é possível assistir à TV digital de qualquer lugar. Assim como o irmão menor, ele também é dual chip e roda Android 4.2 Jelly Bean.

Os dois aparelhos são produzidos na fábrica da Alcatel em Manaus, o que os permitiu serem mais acessíveis. No primeiro trimestre de 2014, a Alcatel ficou em segundo lugar como a empresa que mais vendeu celulares na América Latina, de acordo com a IDC.

Você pode ler mais sobre o Pop C3 e Pop C5 na página da Alcatel.

Pop C3 e Pop C5 são os novos smartphones acessíveis da Alcatel








Instagram lança o app Bolt somente em três países

Posted: 30 Jul 2014 12:18 PM PDT

Há cerca de uma semana, surgiu no Instagram o anúncio de um aplicativo chamado Bolt. Pela descrição, ele parecia se assemelhar ao Snapchat por enviar fotos com apenas um toque.

O Bolt foi lançado hoje e é bem isso mesmo: um aplicativo que tem a proposta de simplificar a comunicação com fotos entre amigos.

Curiosamente, o lançamento foi feito em somente três países: Singapura, África do Sul e Nova Zelândia. Neles, o aplicativo será testado e refinado para um lançamento mundial posterior.

Segundo o Instagram, que é o responsável pelo Bolt, o motivo para a escolha desses locais é uma combinação de fatores: os três falam inglês, usam muito o Instagram e a internet para conectar comunidades e há grande adoção do Android Ice Cream Sandwich.

Como o aplicativo ainda nem pode ser baixado por aqui, vamos nos basear nas impressões do The Next Web e do TechCrunch para falar dele.

O processo para criar um perfil é um pouco diferente do que estamos acostumados – nada de login com o Facebook ou por email. De fato, o aplicativo não tem qualquer conexão com outro, nem mesmo com o Instagram. Seu perfil fica vinculado com o seu número de telefone, como o WhatsApp. Por um lado, isso é legal porque faz com que você só troque Bolts com pessoas conhecidas. Por outro, esse mesmo motivo pode ser negativo.

Para criar a imagem do seu perfil, ele solicita uma selfie feita na hora. Todos os contatos no Bolt são representados por selfies, que ficam no lugar do botão de capturar imagem. Dessa forma, só é possível enviar um Bolt de cada vez, sem criar grupos (pelo menos por enquanto), e você deve escolher o destinatário antes de fazer a foto. Ao tocar na imagem do seu contato escolhido para enviá-la, o aplicativo na mesma hora faz isso, tornando o processo bem mais rápido que em outros apps. Para enviar vídeo, é só tocar e manter o dedo na foto do seu amigo.

bolt app

É possível adicionar texto às fotos, mas só antes de tirá-las. As respostas a Bolts também podem ser só em texto; nesse caso, ele fica em cima da imagem que foi recebida. Como comentado pelo TNB, isso facilita a conversa pelo app sem que seja necessário tirar um monte de fotos.

E, assim como o Snapchat, as imagens não ficam disponíveis para sempre. Mas não há uma contagem regressiva de alguns segundos para que você possa vê-la. Em vez disso, você se desfaz dela ao dar um swipe. Se não o fizer, ela é apagada dentro de 30 dias automaticamente.

Outra função legal é a de cancelar o envio de uma imagem. Para fazer isso, basta ser rápido e chacoalhar o aparelho. Fazendo isso, o aplicativo dá a opção de salvar a foto na sua galeria. Fazer o upload de imagens existentes, no entanto, é impossível.

O Bolt tem sido elogiado por quem já o testou, mas a dúvida que fica é se há público para mais um aplicativo de envio rápido de fotos. Além do já estabelecido Snapchat, o Facebook lançou recentemente o Slingshot e há ainda outros, como o Taptalk e o Mirage. O diferencial do Bolt, ao que parece, é ser o mais rápido deles, e o início em somente três países indica que o Instagram quer colocar no mercado mundial o melhor aplicativo possível. Ainda não tem data para que isso ocorra mas, quando ocorrer, ele deve estar disponível para iOS e Android.

Instagram lança o app Bolt somente em três países








Novos aviões da Embraer querem resolver o problema da falta de espaço para sua bagagem de mão

Posted: 30 Jul 2014 12:07 PM PDT

Não tem jeito: depois que todos embarcam no avião, pelo menos uma pessoa terá dificuldade para guardar a bagagem de mão. Mas a Embraer pode acabar com esse inconveniente nos novos aviões comerciais E2. Trabalhando em conjunto com a empresa de design Priestmangoode, de Londres, a fabricante brasileira de aeronaves conseguiu aumentar o espaço dos compartimentos superiores em 40%.

embraer-e2-cabine

Com um espaço bem maior, a ideia é que todos os passageiros, sem exceção, consigam colocar suas bagagens de mão de tamanho padrão nos compartimentos superiores. É possível acomodar malas de até 56x46x25 centímetros de tamanho, ou seja, há espaço suficiente. As companhias normalmente adotam a regra de que a soma das dimensões não pode ultrapassar 115 centímetros (algo em torno de 55x40x20 centímetros).

Mas se o compartimento superior está mais espaçoso, isso significa que a área para o passageiro está ainda mais apertada? Na verdade, não. Toda a mágica para ampliar o espaço está na PSU, sigla em inglês para Unidade de Serviço ao Passageiro. Como explica a Wired, é lá que ficam as máscaras de oxigênio, luzes de leitura e indicações para apertar os cintos ou desligar eletrônicos.

Uma PSU para cada um

Uma PSU para cada um

Os aviões normalmente possuem uma PSU que se estende por todos os assentos, mas os novos jatos da Embraer terão uma PSU para cada assento. Ou seja, a instalação dessas unidades deverá ser mais trabalhosa, mas em compensação elas poderão ser posicionadas de maneira mais flexível, o que permitirá a economia de espaço. A Priestmangoode já entrou com um pedido para patentear as PSUs.

embraer-e2-psu-individual

Vale a pena dar uma olhada melhor na cabine dos E2. Os aviões poderão ter apoio para tablets, conexão Wi-Fi e tela de boas-vindas na entrada do avião com informações úteis, como a temperatura no destino. Na primeira classe, a companhia aérea pode optar por colocar um assento por fileira. O vídeo abaixo, da Embraer, detalha bem o que podemos esperar dos jatos:

embraer-e2-classe

embraer-e2

No momento, há três modelos de jatos E2 anunciados pela Embraer: E175-E2, E190-E2 e E195-E2. As primeiras aeronaves serão entregues em 2018 e, no layout padrão de classe única, podem levar de 88 a 132 passageiros. Algumas companhias aéreas já fizeram seus pedidos; por aqui, a Azul assinou uma carta de intenções para comprar até 50 aviões Embraer E195-E2.

É do Brasil!

Novos aviões da Embraer querem resolver o problema da falta de espaço para sua bagagem de mão








Nada de times brasileiros no FIFA 15

Posted: 30 Jul 2014 10:31 AM PDT

A EA anunciou nesta quarta-feira (30) uma novidade de FIFA 15 que pode desagradar algumas pessoas: jogadores e times do campeonato brasileiro estão de fora da nova versão do jogo. No comunicado, a EA afirma que eles não serão incluídos devido a “mudanças no processo de licenciamento no Brasil”. A Seleção Brasileira, no entanto, permanecerá (e talvez não seja tão boa depois do que vimos nessa última Copa).

fifa-15

“A EA não conseguiu chegar a um acordo com os detentores dos direitos dos jogadores e, consequentemente, eles não serão incluídos no jogo FIFA 15, estando também ausentes os respectivos clubes do campeonato brasileiro”, diz a mensagem, destacando que “a Seleção Brasileira foi mantida no novo jogo, bem como as estrelas nacionais que atuam em grandes ligas em todo o mundo”.

Entre as novidades de FIFA 15 está uma tecnologia que processa as expressões e atitudes dos jogadores em tempo real, fazendo com que eles reajam a um gol perdido, comemorem uma defesa brilhante, incentivem o companheiro ou até mesmo causem cenas lamentáveis. Haverá torcidas mais realistas (agora vai?!), danos ao gramado, maior precisão nos chutes e jogadores mais inteligentes, com corpos mais detalhados.

FIFA 15 será lançado oficialmente no dia 25 de setembro para PlayStation 3, Xbox 360, PlayStation 4, Xbox One e PC (inclusive com o novo motor Ignite). A EA prometeu revelar mais novidades sobre ligas e licenças próximo a Gamescom, feira anual de games que acontece na Alemanha em 13 de agosto.

Nada de times brasileiros no FIFA 15








Assassin’s Creed Unity terá uma personagem feminina, mas ela não será jogável

Posted: 30 Jul 2014 09:17 AM PDT

Depois da grande polêmica que foi a infeliz justificativa da Ubisoft para não ter uma assassina mulher no co-op de Assassin’s Creed Unity, a publisher conseguiu rapidamente inserir uma garota na trama do jogo. Em trailer divulgado ontem, conhecemos Elise.

elise acu

Relembrando a polêmica, a Ubisoft havia dito que modelar uma personagem feminina para o modo co-op no jogo representaria muito trabalho extra, então foi utilizada a base do personagem principal, Arno, para os outros. Profissionais da área rebateram dizendo que não seria tão trabalhoso assim e a hashtag #womenaretoohardtoanimate tomou conta do Twitter.

Então, ontem, a publisher liberou o trailer a seguir. Nele, vemos uma jovem prestes a ser decapitada, que é salva pelo protagonista da história. É Elise, uma templária que faz parte da nobreza francesa e provavelmente irá se unir a Arno de alguma maneira ao longo da história.

Elise é bonitinha e parece saber o que fazer com uma lâmina em mãos, mas tem um porém: ela não será uma personagem jogável. Ou seja, se você quer jogar com uma personagem feminina em Assassin’s Creed, terá de voltar para AC: Liberation, que conta com uma protagonista mulher (e tem praticamente todas as animações feitas a partir de Connor, protagonista de AC3 – os dois jogos foram feitos paralelamente).

Falando em Liberation, esse jogo também tem uma Elise ruiva de olhos verdes com traços delicados. Prefiro achar que é coincidência.

Apesar de não estrelar o jogo, a Elise de Unity será protagonista de um livro da série inspirada na franquia, escrita por Oliver Bowden. Ele mostrará a batalha entre Assassinos e Templários e a relação com Arno a partir de seu ponto de vista. Além disso, uma versão da personagem em estátua colecionável também será vendida junto com um DLC para o jogo.

assassins-cree-unity-elise-action-figurine

Em outras palavras, a Ubisoft acrescentou uma mulher forte na trama de Unity, mas sua apresentação ao mundo foi precisando ser salva por um homem e ela será um NPC (non-playable character). Apesar de não ser o que esperávamos no jogo, ela terá um livro no qual será protagonista e uma estátua colecionável, assim como Arno. Nesse cenário, eu realmente não ficaria surpresa se a tal força de Elise estivesse na forma de “personalidade forte”, o que não necessariamente se traduz em uma personalidade feminina interessante.

Assassin’s Creed Unity será lançado para PC, Xbox One e PS4 no dia 28 de outubro.

Assassin’s Creed Unity terá uma personagem feminina, mas ela não será jogável








Por 5 dólares ao mês, serviço da EA oferece Battlefield 4, FIFA 14 e outros jogos

Posted: 30 Jul 2014 06:54 AM PDT

Quatro jogos de grande sucesso por 4,99 dólares ao mês (aproximadamente 11,15 reais). Com este mantra em mente, a EA anunciou um novo serviço chamado EA Access: será exclusivo para Xbox One e dará direito a jogar os títulos Battlefield 4, FIFA 14, Peggle 2 e Madden NFL 25. De acordo com a empresa de games, outros títulos serão adicionados "em breve".

Battlefield 4

Tudo leva a crer que o novo serviço é a “Xbox Live Gold da EA”, com o objetivo de levar ofertas aos jogadores e ganhar dinheiro em cima disso. Além dos títulos disponíveis para jogar enquanto o pagamento estiver em dia, os clientes também terão desconto de 10% na compra de todo o conteúdo digital da EA – tanto jogos inteiros quanto DLCs.

E não para por aí: também haverá o acesso antecipado a FIFA 15, Madden NFL 15 e Dragon Age: Inquisition.

Até onde sabemos, o EA Access não será lançado no Brasil nesta primeira leva de países. O serviço foi confirmado na América do Norte, alguns países da Europa e Austrália. "Territórios adicionais virão na sequência", segundo um FAQ publicado pela EA. E, por sinal, também não há uma data para início do programa beta com o Access.

A Microsoft abocanhou sozinha o serviço. Parece que a EA também levou o projeto para apreciação do pessoal da Sony, mas a ideia não foi bem recebida. Um porta-voz da empresa disse que o serviço mensal da EA foi avaliado, mas no fim das contas ficou decidido que ele "não agrega o tipo de valor que os consumidores do PlayStation esperam", segundo entrevista ao site Game Informer.

Fora isso, tem a questão de o EA Access possivelmente canibalizar a assinatura da PlayStation Plus. O serviço dá acesso a dois títulos por mês para PS4, PS3 e Vita. Reza a lenda que, em agosto, serão os seguintes jogos: Far Cry 3 e Saints Row IV para PlayStation 3; e Octodad: Deadliest Catch e The Swapper para PlayStation 4. Nada confirmado pela Sony.

O Xbox também tem algo similar: assinantes da Gold participam do programa Games with Gold (nome horrível, eu sei) para receber jogos enquanto a assinatura está em vigor. Os títulos em cartaz atualmente são: Guacamelee, Max: The Curse of Brotherhood e BattleBlock Theater.

Por 5 dólares ao mês, serviço da EA oferece Battlefield 4, FIFA 14 e outros jogos








O que há de novo no Windows Phone 8.1 Update

Posted: 30 Jul 2014 06:45 AM PDT

Lumia Cyan mal chegou aos usuários, mas a Microsoft já revelou a primeira atualização significativa do Windows Phone 8.1. Com o recurso nativo de pastas de aplicativos, Xbox Music mais rápido, reforço na segurança e outras novidades, o Windows Phone 8.1 Update será distribuído a partir da semana que vem aos desenvolvedores. Também há melhorias na Cortana, mas ela (ainda) não é para você.

Live Folders, até que enfim

Atualmente, para agrupar Live Tiles na tela inicial em pastas, é necessário usar um aplicativo de terceiro. A Nokia tem o Pastas de Aplicativos; a Samsung tem o App Folder. Eles fazem o trabalho decentemente, mas a solução nativa da Microsoft é muito mais prática: para criar uma Live Folder, simplesmente arraste um Live Tile para cima do outro. Mesmo dentro de uma pasta, os Live Tiles continuarão exibindo informações normalmente.

windows-phone-live-folder

Cortana poliglota

A assistente pessoal Cortana vai chegar ao Reino Unido, China, Canadá, Austrália e Índia. Nada de Brasil por enquanto, mas a Microsoft deixou claro que o processo de adaptar a Cortana a um país é meio trabalhoso: na terra da rainha, por exemplo, a Cortana precisará exibir informações da bolsa de valores de Londres, condições do trânsito e resultados de jogos de futebol da English Premier League.

Cortana (ou "Xiao Na" na China)

Cortana (ou “Xiao Na” na China)

Além disso, a Cortana já fala inglês por funcionar nos Estados Unidos, mas para chegar ao Reino Unido é necessário adaptar a assistente ao sotaque britânico. Tanto é que, no Reino Unido, a voz da Cortana não será a mesma dos Estados Unidos, onde foi usado o timbre de Jen Taylor, que faz a voz da personagem de inteligência artificial Cortana na série Halo.

Na China, a Cortana tem… rosto! Ou, pelo menos, dois olhinhos. Algumas funcionalidades adicionais, desenvolvidas pela Microsoft China, estarão disponíveis exclusivamente para os chineses, como a possibilidade de procurar palavras em inglês no dicionário do Bing. Na previsão do tempo, além das informações tradicionais, como a temperatura, também será mostrada a qualidade do ar, algo bem importante por lá.

Ficou bem simpática.

Pequenas melhorias bem-vindas

  • O Xbox Music está mais rápido para abrir e ganhou melhorias em várias partes, como a sincronização em plano de fundo e o Live Tile, que está mais elaborado;
  • Apps Corner: função para o mercado corporativo, permite selecionar e restringir os aplicativos que estarão disponíveis para um usuário;
  • Você pode selecionar múltiplos SMS para excluí-los ou encaminhá-los.

windows-phone-8-1-update-sms-xbox-apps-corner

The Verge citou algumas novidades debaixo do capô que não estão listadas no blog da Microsoft:

  • Suporte a telas de 7 polegadas (porque o Lumia 1520 de 6 polegadas ainda é muito pequeno, né?);
  • Mais uma opção de resolução: 1280×800 pixels;
  • Quick Charge: recurso da Qualcomm para carregar a bateria mais rapidamente (Lumia 1520 e Lumia 930 suportam essa função).

Quando chega?

Se você faz parte do programa Windows Phone 8.1 Preview for Developers, uma atualização será liberada na semana que vem. Já para quem não quiser arriscar, o jeito é esperar: a Microsoft promete disponibilizar o Windows Phone 8.1 Update “nos próximos meses”. Depois da liberação pela Microsoft, ainda será necessário aguardar a boa vontade das fabricantes e das operadoras.

O que há de novo no Windows Phone 8.1 Update








Read more »